28 de mai de 2009

Satélite Prontidão Patrimônio Histórico


Nesta terça-feira, dia 26 foi aprovado por unanimidade Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul o projeto de autoria do deputado Raul Carrion(PCdoB), que declara a Associação Satélite Prontidão como Patrimônio Histórico e Cultural do RS.

"A Associação Satélite Prontidão enquanto patrimônio imaterial, precisa ser valorizada pelo trabalho centenário realizado, mantendo-se como um espaço que abriga as idéias e os saberes desta etnia, sendo um espaço de resistência cultural, de resgate de sua contribuição histórica, de congreção e entretenimento das famílias da comunidade negra", afirma Carrion.

HISTÓRIA


A atual Associação Satélite Prontidão surgiu de um processo que teve origem em 20 de abril de 1902, passados quatorze anos da abolição da escravatura. Algumas famílias da comunidade negra, unidas no propósito de construir uma sociedade que pudesse abrigar a cultura, as idéias e os costumes do povo negro, bem como fosse um espaço de lazer e entretenimento, fundaram a Sociedade Satélite Porto-Alegrense.

Além de recreativa, a entidade realizava atividades culturais e tinha como missão especial o preparo educacional da sua comunidade através de mutirões promovidos pelas senhoras da sociedade, no trabalho de alfabetização de alguns de seus sócios, seus filhos e crianças do entorno da sede social, que ficava na Cidade Baixa.

A Associação Satélite Prontidão, fusão de duas entidades, manteve as atividades da área social, onde sempre despontaram as festas de grandes públicos como os famosos bailes do chope, as festas juninas, os bailes de carnaval e os bailes de aniversários da entidade. A fusão, em 1956, não diminuiu o interesse e a dedicação pelas questões relativas à educação, à cultura e à assistência social, quase cultuadas no passado - pelo contrário - incorporaram-se a estas atividades outras, inclusive de caráter filantrópico mantendo-se a mesma filosofia de trabalho adotado pelas antigas sociedades.

Na gestão do Presidente José Aneron Fagundes Gomes, em 1988, dentro das comemorações dos 100 anos da libertação dos escravos, a Associação instituiu o Prêmio Zumbi dos Palmares, que passaria a ser entregue anualmente a personalidades com trabalhos significativos em benefício da Comunidade Negra.

A Associação Satélite Prontidão foi considerada de utilidade pública no âmbito do Município de Porto Alegre, pela Lei n° 7425, de 11 de maio de 1994. No ano de 1997, a Associação passou a ser considerada de utilidade pública no âmbito do Estado, pelo Decreto Lei de n° 1130 de 24 de julho de 1949.

27 de mai de 2009

Te amo de paixão!

Além de ser Tim Maia, essa eu ganhei! Parafraseando meu amor... quer uma declaração de amor maior que essa?

19 de mai de 2009

Mais um adeus

"O amor é uma agonia
Vem de noite, vai de dia
É uma alegria
E de repente
Uma vontade de chorar..."

Vinicius de Moraes

14 de mai de 2009

Aguarde...Délcio Luiz


Dia 14 de junho a Nega Bacana e a Associação Satélite-Prontidão Trazem à Porto Alegre Délcio Luiz com o lançamento de seu novo DVD... Por enquanto ouve aí!

"Crack - Ignorar é o seu vício?"


Nesta quinta-feira, 14 de maio, a partir das 17h30, no Palácio do Ministério Público (Praça Marechal Deodoro, 110), a AMP/RS lançará uma campanha de mobilização e alerta contra o crack, droga que se transformou em uma epidemia social, atingindo, principalmente, crianças e jovens. (Na imagem ilustração do site da campanha que será apresentado na quinta-feira)

Segundo o presidente da entidade, Marcelo Dornelles, está entre as funções da Associação do Ministério Público, como entidade do terceiro setor, contribuir para a evolução e o desenvolvimento da comunidade em que atua. Dentro desta visão, construiu uma cultura interna fundamentada em valores éticos e de respeito às pessoas e instituições. 'A campanha Crack - Ignorar é o seu vício?' é um dos projetos da Associação na área de responsabilidade social”, conta ele, acrescentando que, além de buscar a conscientização da sociedade e dos agentes públicos, esse projeto terá o papel de estimular outras iniciativas de enfrentamento desenvolvidas no Estado.

No evento de lançamento será exibido um vídeo com depoimentos de autoridades engajadas no projeto. O palestrante da noite será o rapper MV BILL, um dos fundadores da Central Única das Favelas e produtor do vídeo Falcão – Meninos do Tráfico –. Bill falará sobre a experiência da organização nas periferias do Brasil. O evento encerra com o lançamento da Exposição Fotográfica Bak – na pedra a sociedade treme, do comunicador Manoel Soares, produzida pela CUFA, organização não governamental que nasceu no Rio de Janeiro e hoje está presente em diversas capitais do país.

Parceiros

Nesta primeira etapa da campanha, a AMP/RS já conta com parceiros do setor público e privado como a Procuradoria- Geral de Justiça, a Ajuris, a Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul, o Instituto Gerdau e a Central Única das Favelas. Também são parceiros a agência de propaganda Paim e a produtora Imagem B, que participaram na criação de peças, como a logomarca da campanha e o vídeo de lançamento. “Durante o trabalho de concepção deste projeto e de preparação para seu lançamento comprovamos que o crescimento do consumo do crack no Rio Grande do Sul é uma preocupação de diversas instituições, agentes públicos e privados, por isso já contamos com colaboradores de diferentes setores da sociedade”, revela o vice-presidente da AMP/RS e coordenar do projeto, Mauro Souza.

O comandante da Brigada Militar, coronel João Carlos Trindade Lopes, o chefe de polícia, delegado João Paulo Martins e o secretario estadual da Saúde, Osmar Terra, também engajaram-se na campanha da AMP/RS, através da participação no vídeo de lançamento, que conta ainda com Mauro Souza, o coordenador da Cufa no Região Sul, Manoel Soares, e com o senador Cristovam Buarque, uma dos grandes defensores da educação como caminho de inclusão social.

Na sexta feira, dia 15 o debate acontecerá na Escola Júlio de Castilhos para estudantes do ensino médio, este debate também contará com a presença do rapper e ativista social MV Bill.

Fonte www.cufars.org. br

Caxias...

Néspolo meu diretor

Dinorá, Isadora, José Ivo Sartori e Maria Helena


Aproveitei o dia das mães que me levou à Caxias e acabei construindo algumas agendas da CUFA com a institucionalidade. Eu e a Dinorá que coordena a entidade aqui no estado fomos debater a questão do Crak com a vereadora Ana Corso, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal, reunir com o chefe de Gabinete do Prefeito e de quebra dar um abraço no Prefeito da cidade José Ivo Sartori e na primeira dama Maria Helena Sartori. Essa que durante a minha gestão da União Caxiense de Estudantes Secundaristas - UCES foi uma grande parceira e contribuiu muito em seminários e debates educacionais.

Nossa neste dia de atividade total em minha terra natal, revi tantas pessoas que não encontrava há tempos. Pessoas que participaram e acompanharam toda minha trajetória até a vinda para a capital.

Destaco outra pessoa que hoje é chefe de gabinete do prefeito mas bem antes disso, fez parte de momentos importantes em minha vida. Falo do meu diretor Édison Néspolo, um amigão que sempre ouviu, compreendeu e defendeu quando necessário esta mocinha aqui. Ele foi diretor da escola onde concluí meu ensino médio o Colégio Dante Alighieri mas mais que isso é um grande amigo e um grande referência também.

Fotos de Cristopher - Assessoria de comunicação Prefeitura de Caxias do Sul

11 de mai de 2009

Mulheres Galeanas


Como faço todos os dias das mães vim para Caxias dar um beijo nessas coisas queridas que são a minha mãe e a minha vó. Sempre quando volto resolvo matar saudades de alguma coisa algumas vezes filmes, outras fotografias e por aí vai.

Desta vez resolvi procurar um livro que há muito tempo não lia, aliás tinha o original em espanhol e não consigo lembrar pra quem emprestei... Pois bem encontrei o livro traduzido da minha mãe. Falo de "Mulheres" do Eduardo Galeano, que faz ma grande homenagem as mulheres da América Latina.

Deixo o meu preferido aí é claro... nem preciso dizer porque é o preferido!


Isadora

Descalça, despida, envolvida apenas pela bandeira argentina, Isadora Duncan dança o hino nacional.

Comete esta ousadia numa noite de 1916, num café de estudantes de Buenos Aires, e na manhã seguinte todo mundo sabe: o empresário rompe o contrato, as boas famílias devolvem suas entradas ao Teatro Cólon e a imprensa exige a expulsão imediata desta pecadora norte-americana que veio à Argentina para macular os símbolos pátrios.

Isadora não entende nada. Nenhum francês protestou quando ela dançou a marselhesa com um xale vermelho como traje completo. Se é possível dançar uma emoção, se é possível dançar uma idéia, por que não se pode dançar um hino?

Liberdade ofende. Mulher de olhos brilhantes, Isadora é inimiga declarada da escola, do matrimônio, da dança clássica e de tudo aquilo que engaiole o vento. Ela dança porque dançando goza, e dança o que quer, quando quer e como quer, e as orquestras se calam frente à música que nasce de seu corpo.

Eduardo Galeano

8 de mai de 2009

O Mapa


Tenho de assumir, sou uma caxiense que reside na capital gaúcha há 5 anos e tornei-me uma porto alegrense saudosista e apaixonada por esta cidade!

O Mapa

Olho o mapa da cidade
Como quem examinasse
A anatomia de um corpo...
(É nem que fosse meu corpo!)
Sinto uma dor esquisita
Das ruas de Porto Alegre
Onde jamais passarei...
Há tanta esquina esquisita
Tanta nuança de paredes
Há tanta moça bonita
Nas ruas que não andei
(E há uma rua encantada
Que nem em sonhos sonhei...)
Quando eu for, um dia desses,
Poeira ou folha levada
No vento da madrugada,
Serei um pouco do nada
Invisível, delicioso
Que faz com que o teu ar
Pareça mais um olhar
Suave mistério amoroso
Cidade de meu andar
(Deste já tão longo andar!)
E talvez de meu repouso...

Mario Quintana

2 de mai de 2009

Dia do Trabalhador e não do trabalho!


Ontem foi 1° de maio, dia do trabalhador.É incrível como a mídia e todos que falaram sobre o primeiro de maio se referieam à ele. 1° de maio é Dia do Trabalhador e não do trabalho.

Esse tipo de ação parte dos mesmos que preferem tratar o "Mnndo do Trabalho" como "mercado de trabalho" abrindo assim o livre comércio, a livre concorrência entre as pessoas.

Prefiro aqui homenagear esses milhares de homens e mulheres que não se entregam de forma alguma, que não se importam de dormir poucas horas por noite, andar quilômetros, chegar em casa e cumprir suas obrigações com suas famílias. Homens e mulheres que lutam inacansavelmente no seu dia-a-dia para sobreviver e jamais deixam de ter a esperança de tudo será melhor um dia.

Parabéns à todos os trabalhadores que constróem esse país.

Foto Sebastião Salgado