23 de dez de 2008

Não deixe o amor passar



Não deixe o amor passar

Quando encontrar alguém e esse alguém
fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos,preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e, neste momento,houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.

Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente: O Amor.
...
Por isso, preste atenção nos sinais...
não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida:O AMOR.

Carlos Drummond de Andrade


PS: Essa tem endereço...

"Meu medo maior é o espelho se quebrar..."



Sempre quando volto para esta terra, tudo parece estranho. Talvez porque em Porto Alegre as pessoas, as coisas, tudo aconteça em maior velocidade. Minha volta é sempre como um mergulho dentro de mim mesma. Volto aos tempos de criança em que eu olhava lá pra cima pra ver a cara da minhã mãe, da minha vó e do meu avô.... esse que foi meu pai sim e deixou muitas saudades o seu João Carlos Ermel. Sempre lembro dele.

Sua cadeira de balanço onde ele me fazia dormir e seus LP's continuam no mesmo lugar... do jeitinho que gostava de organizar. Além dele é claro minha tarefa revolucionária é sempre tentar falar com meu Pai mesmo, o seu Pisoni... que amooo demais e que prometo nunca desistir de conquistar.. se essa é a expressão adequada. Poque sempre amei e vou continuar amando... "Mas o meu medo maior é o espelho se quebrar"

21 de dez de 2008

A cidade elegante....



Cidade elegante... tenho dúvidas. Ma concordo que o clima serrano faz com que sejamos mais elegantes... o frio, o vinho, muitas roupas... couros. Nossa sou fresca, talvez uma cidade contraditória a segunda maior do estado, melhor qualidade de vida do país.

Sempre quando volto penso, será que apenas encontrarei mais prédios, perimetrais, shoppings, e condomínios de luxo? Ou será que que encontrarei uma cultura renovada? Cabeças abertas, menos conservadorismo e mais amplitude de idéias?

Caxias...a cidade elegante, charmosa quem sabe... Lacave, Aldo Locatelli, Casa de Pedra... minha casa

De volta pra casa



É... Final de ano chegando, presentes, festas, natal, ano novo, família...

Rumo à caxias mais uma vez! Matar a saudade de casa...a minha quer dizer agora da mamãe e da vovó apenas. Neste dia 3 de janeiro já vai completar 4 anos que estou orando em Porto Alegre. Agora na rodoviária olho para os lados e muitas pessoas retornando às suas casas. Se não tenho muita afinidade com natal, posso encontrar alguma coisa boa nesta data e com certeza é voltar para casa... Sim a casa que já não é mais minha mas aquele que sei que sempre poderei voltar e irá ter uma linda senhora, pequeninha de tamanho mas com um coração enorme e cheia de amor pra dar... minha vozinha. E claro acompanheira de fé, minha mãe camarada!

Haaa!lá sempre será a minha casa...por mais que eu posssa ter outras...

Caxias estou voltando por poucos dias mas estou voltando

13 de dez de 2008

Meu pai Oxóssi



África
Pierre Verger, em seu livro Orixás, diz que o culto de Oxóssi foi praticamente extinto na região de Ketu, na Iorubalândia, uma vez que a maioria de seus sacerdotes foram escravizados, tendo sido enviados à força para o Novo Mundo ou mortos.

Aqueles que permaneceram em Ketu deixaram de cultuá-lo por não se lembrarem mais como realizar os ritos apropriados ou por passarem a cultuar outras divindades.

Brasil

Durante a diáspora negra, muitos escravos que cultuavam Oxóssi não sobreviveram aos rigores do tráfico negreiro e do cativeiro, mas, ainda assim, o culto foi preservado no Brasil e em Cuba pelos sacerdotes sobreviventes e Oxóssi se transformou, no Brasil, num dos orixás mais populares, tanto no candomblé, onde se tornou o rei da nação Ketu, quanto na umbanda, onde é patrono da linha dos caboclos, uma das mais ativas da religião.

Seu habitat é a floresta, sendo simbolizado pela cor verde, na umbanda e recebendo a cor azul clara no candomblé, mas podendo usar, também, a cor prateada nesse último. Sendo assim, roupas, guias e contas costumam ser confeccionadas nessas cores, incluindo, entre as guias e contas, no caso de Oxóssi e, também, seus caboclos, elementos que recordem a floresta, tais como penas e sementes.

Seus instrumentos de culto são o ofá (arco e flecha), lanças, facas e demais objetos de caça. É um caçador tão habilidoso que costuma ser homenageado com o epíteto "o caçador de uma flecha só", pois atinge o seu alvo no primeiro e único disparo tamanha a precisão. Conta a lenda que um pássaro maligno ameaçava a aldeia e Oxossi era caçador, como outros. Ele só tinha uma flecha para matar o pássaro e não podia errar. Todos os outros já haviam errado o alvo. Ele não errou, e salvou a aldeia. Daí o epíteto "o caçador de uma flecha só".Come tudo quanto é caça e o dia a ele consagrado é quinta-feira.

No Brasil, Ibualama, Inlè ou Erinlè é uma qualidade de Oxóssi, marido de Oxum Ipondá e pai de Logunedé. Como os demais Oxóssis é caçador, rei de Ketu e usa ofá (arco e flecha), mas se veste de couro, com chapéu e chicote.

Um Oxóssi azul, Otin, usa capanga e lança. Vive no mato a caçar. Come toda espécie de caça, mas gosta muito de búfalo.

A curiosidade e a observação são características das pessoas consideradas filhas de Oxóssi, orixá também da alegria, da expansão, que gosta de agir à noite, como os caçadores. São faladores, ágeis e de raciocínio muito rápido.

Oxóssi é o arquétipo daquele que busca ultrapassar seus limites, expandir seu campo de ação, enquanto a caça é uma metáfora para o conhecimento, a expansão maior da vida. Ao atingir o conhecimento, Oxóssi acerta o seu alvo. Por este motivo, é um dos Orixás ligados ao campo do ensino, da cultura, da arte. Nas antigas tribos africanas, cabia ao caçador, que era quem penetrava o mundo "de fora", a mata, trazer tanto a caça quanto as folhas medicinais. Além, eram os caçadores que localizavam os locais para onde a tribo poderia futuramente mudar-se, ou fazer uma roça. Assim, o orixá da caça extensivamente é responsável pela transmissão de conhecimento, pelas descobertas. O caçador descobre o novo local, mas são os outros membros da tribo que instalam a tribo neste mesmo novo local. Assim, Oxóssi representa a busca pelo conhecimento puro: a ciência, a filosofia. Enquanto cabe a Ogum a transformação deste conhecimento em técnica.

Apesar de ser possível fazer preces e oferendas a Oxóssi para os mais diversas facetas da vida, pelas características de expansão e fartura desse orixá, os fiéis costumam solicitar o seu auxílio para solucionar problemas no trabalho e desemprego. Afinal, a busca pelo pão-de-cada dia, a alimentação da tribo costumeiramente cabe aos caçadores.

Por suas ligações com a floresta, pede-se a cura para determinadas doenças e, por seu perfil guerreiro, proteção espiritual e material.

Fonte:http://pt.wikipedia.org/

"Porque a vida só se dá pra quem se deu"

Para compartilhar...




Como dizia o poeta
Quem já passou por essa vida e não viveu
Pode ser mais, mas sabe menos do que eu
Porque a vida só se dá pra quem se deu
Pra quem amou, pra quem chorou, pra quem sofreu
Ah, quem nunca curtiu uma paixão nunca vai ter nada, não
Não há mal pior do que a descrença
Mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão
Abre os teus braços, meu irmão, deixa cair
Pra que somar se a gente pode dividir
Eu francamente já não quero nem saber
De quem não vai porque tem medo de sofrer
Ai de quem não rasga o coração, esse não vai ter perdão
Quem nunca curtiu uma paixão, nunca vai ter nada, não.

Vinicius de Moraes

Redenção tinha até esquecido...



Há tempos não saía de manhã cedo no sábado pra fazer um programa digamos "saudável" ou simplesmente que fazem bem à nossa cabeça e nossa alma. Cancelei todas as festas da sexta e fiquei curtindo a fantática "Capitu" (a minisérie,vai ter seu tópico específico pois é digna de um). Acordei cedo e fui rumo à feira ecológica da Redenção. Suco de laranja, pastel integral e muitas coisinhas gostosas.

O Brique, continua sendo um dos melhores lugares, ainda mais nessa época que normalmente damos presentinhos aos amigos, familia e por aí vai... coisas acessíveis e originais.Tem coisa melhor?

Pra encerrar não poderia faltar aquele chimas, deitada na grama embaixo das árvores. A Redenção continua sendo um dos meu lugares preferidos de Porto Alegre, em dia de sol ou nublado...lá tenho paz, reflexão!

11 de dez de 2008

Trilha..

Como não posso perder o hábito, sempre digo... Minha vida tem trilha sonora!
Aí vai a música que comandou o dia..




Reconvexo
Maria Bethânia

Eu sou a chuva que lança a areia do Saara
Sobre os automóveis de Roma
Eu sou a sereia que dança, a destemida Iara
Água e folha da Amazônia
Eu sou a sombra da voz da matriarca da Roma Negra
Você não me pega, você nem chega a me ver
Meu som te cega, careta, quem é você?
Que não sentiu o suingue de Henri Salvador
Que não seguiu o Olodum balançando o Pelô
E que não riu com a risada de Andy Warhol
Que não, que não, e nem disse que não
Eu sou o preto norte-americano forte com um brinco de
ouro na orelha
Eu sou a flor da primeira música,
A mais velha mais nova espada e seu corte
Eu sou o cheiro dos livros desesperados, sou Gitá gogoya
Seu olho me olha, mas não me pode alcançar
Não tenho escolha, careta, vou descartar
Quem não rezou a novena de Dona Canô
Quem não seguiu o mendigo Joãozinho Beija-Flor
Quem não amou a elegância sutil de Bobô
Quem não é recôncavo e nem pode ser reconvexo.

Composição: Caetano Veloso

Falando em vida...



Ontem foi o dia em que o mundo lembrou dos 60 anos da Declaração dos Direitos Humanos. Sempre quando penso em direitos humanos lembro de nossa lutas, nossas causas, da necessidade de transformarmos essa sociedade em outra mais justa, mais humana, onde poucos não nascem com muito e muitos sem nada mas que um dia possamos partir da mesma linha de largada e aí sim vermos que vai e quem fica no mesmo lugar...

Poderia fazer um texto cheio de romantismo, idealismo ou até cientificidade mas encontro em um do Eduardo Galeano a reflexão sobre direitos humanos... Será que eles existem? No papel sei que sim... mas em nossas atitudes?

Deixo vocês na companhia de Eduardo Galeano, que te faz....

Um convite ao vôo!

Milênio vai, milênio vem, a ocasião é propícia para que os oradores de inflamado verbo discursem sobre os destinos da humanidade e para que os porta vozes da ira de Deus anunciem o fim do mundo e o aniquilamento geral, enquanto o tempo, de boca fechada, continua sua caminhada ao longo da eternidade e do mistério.

Verdade seja dita, não há quem resista: numa data assim, por arbitrária que seja, qualquer um sente a tentação de perguntar-se como será o tempo que será. E vá-se lá saber como será. Temos uma única certeza: no século 21, se ainda estivermos aqui, todos nós seremos gente do século passado e , pior ainda, do milênio passado.

Embora não possamos adivinhar o tempo que será, temos, sim, o direito de imaginar o que queremos que seja. Em 1948 e em 1976, as Nações Unidas proclamaram extensas listas de direitos humanos, mas a imensa maioria da humanidade só tem o direito de ver, ouvir e calar. Que tal começarmos a exercer o jamais proclamado direito de sonhar? Que tal delirarmos um pouquinho? Vamos fixar o olhar num ponto além da infâmia para adivinhar outro mundo possível:

o ar estará livre de todo o veneno que não vier dos medos humanos e das paixões humanas; nas ruas os automóveis serão esmagados pelos cães; as pessoas não serão dirigidas pelos automóveis, nem programadas pelo computador; nem compradas pelo supermercado, nem olhadas pelo televisor; o televisor deixará de ser o membro mais importante da família e será tratado como o ferro de passar e a máquina de lavar roupa;

as pessoas trabalharão para viver, em vez de viver para trabalhar; será incorporado aos códigos penais o delito da estupidez, cometido por aqueles que vivem para ter e para ganhar, em vez de viver apenas por viver, como canta o pássaro sem saber que canta e como brinca a criança sem saber que brinca;

em nenhum país serão presos os jovens que se negarem a prestar serviço militar, mas irão para a cadeia os que desejarem prestá-lo; os economistas não chamarão nível de vida de nível de consumo, nem chamarão qualidade de vida a quantidade de coisas;

os cozinheiros não acreditarão que as lagostas gostam de serem fervidas vivas; os historiadores não acreditarão que os países gostam de ser invadidos; os políticos não acreditarão que os pobres gostam de comer promessas;

ninguém acreditará que a solenidade é uma virtude e ninguém levará a sério aquele que não for capaz de deixar de ser sério; a morte e o dinheiro perderão seus mágicos poderes e nem por falecimento ou fortuna o canalha será transformado em virtuoso cavaleiro; ninguém será considerado herói ou pascácio por fazer o que acha justo em lugar de fazer o que mais lhe convém;

o mundo já não estará em guerra contra os pobres, mas contra a pobreza, e a indústria militar não terá outro remédio senão declarar-se em falência; a comida não será uma mercadoria e nem a informação um negócio, por que a comida e a informação são direitos humanos; ninguém morrerá de fome, porque ninguém morrerá de indigestão;

os meninos de rua não serão tratados como lixo, porque não haverá meninos de rua; os meninos ricos não serão tratados como se fossem dinheiro, porque não haverá meninos ricos; a educação não será privilégio de quem possa pagá-la; a polícia não será o terror de quem não possa pagá-la; a justiça e a liberdade, irmãs siamesas condenadas a viverem separadas, tornarão a unir-se, bem juntinhas, ombro contra ombro;

uma mulher, negra, será presidente do Brasil, e outra mulher, negra, será presidente dos Estados Unidos da América; e uma mulher índia governará a Guatemala e outra o Peru; na Argentina, as loucas da Praça de Mayo serão um exemplo de saúde mental, porque se negaram a esquecer dos tempos da amnésia obrigatória;

a Santa Madre Igreja corrigirá os erros das tábuas de Moisés e o sexto mandamento ordenará que se festeje o corpo; a Igreja também ditará outro mandamento, do qual Deus se esqueceu: "Amarás a natureza, da qual fazes parte"; serão reflorestados os desertos do mundo e os desertos da alma; os desesperados serão esperados e os perdidos serão encontrados, porque eles são os que se desesperam de tanto esperar e os que se perdem de tanto procurar;

seremos compatriotas e contemporâneos de todos que tenham aspiração de justiça e aspiração de beleza, tenham nascido onde tenham nascido e tenham vivido quando tenham vivido, sem que importem nem um pouco as fronteiras do mapa ou do tempo;

a perfeição continuará sendo um aborrecido privilégio dos deuses; mas, neste mundo confuso e fastidioso, cada noite será vivida como se fosse a última e cada dia como se fosse o primeiro.


Eduardo Galeano. "Galeano De Pernas Pro Ar". Ed. LPM

Vida!



Nas últimas semanas, diversas situações me fizeram refletir sobre a vida. A primeira delas foi um acidente que a minha grande irmã e amigona a Xanda sofreu. Nossa de uma hora para outra, poderíamos ter ficado sem ela. A causa? Um acidente de moto que teve uma vítima fatal. Bem, ela passou por essa "alguém" a pegou no colo e a fez voar dezoito metros e ainda deu um empurrãozinho para que ela pudesse sair andando. Ela está bem, está viva, digamos que um pouco inquieta afinal ela é "mil grau"! Agora basta ter paciência. Esse episódioconfirma o que as estatísticas apontam... O que mais mata nossa juventude hoje? A juventude da periferia é tiro e a juventude classe média é pricipalmente a combinação entre alcool e trânsito.

Na quarta-feira, fui visitar a minha amiga e havia um outro amigo nosso lá o Dani da "Sítio", deixamos a Xanda em casa e fomos trocar uma idéia, ele acabou me dizendo que estava compondo uma música, que será um som novo do BFN e por acaso qual o tema da letra? Vida!

Dani gravou algumas palavras da menina aqui, sobre a vida não lembro exatamente o que eu disse mas estava convicta que queria reproduzi-las aqui. Vida, acredito que temos que nos apaixonar pela vida todos os dias, pelas pessoas, pelas situações,por nós mesmos, por viver! Também gosto muito da expressão "só sei que nada sei",( sem sentido? Talvez! Minha mãe (a biológica a Ivaniazinha) desde quando eu ainda era um menininha que ficava ao seu lado para que me contasse histórias, sempre me disse "Isaaaa, aprenda... podem tirar tudo de você, sua família um dia irá partir para uma "melhor", essa é a lei da natureza. Dinheiro você pode ter muito mas isso também o dia que quiserem tirar de você vão tirar... mas o que você sabe.. Isso não o que você sabe é só seu! Com conhecimento você constrói e descontrói, cria, questiona, luta e conquista! Então para mim a vida pode ser exprimir em aprender sempre. Faça da pequena chance, o seu mundo aí sim viver sempre vai valer a pena!

8 de dez de 2008

Meu Jardim

Tenho deixado a desejar em meu blog... mas as coisas vão melhorar e logo, logo terei condições de deixar aqui várias vezes ao dia coisinhas interessantes! Por enquanto estou cuidando do "Meu Jardim".




Meu Jardim
Vander Lee

Tô relendo minha lida, minha alma, meus amores
Tô revendo minha vida, minha luta, meus valores
Refazendo minhas forças, minhas fontes, meus favores
Tô regando minhas folhas, minhas faces, minhas flores
Tô limpando minha casa, minha cama, meu quartinho
Tô soprando minha brasa, minha brisa, meu anjinho

Tô bebendo minhas culpas, meu veneno, meu vinho
Escrevendo minhas cartas, meu começo, meu caminho
Estou podando meu jardim
Estou cuidando bem de mim


PS: Pra quem não conhece esse é o Vander Lee, uma dica quentíssima que meu grande amigo Aliado G e o Eder outra figura que foi iluminada quando nasceu e encanta a todos com sua voz e seu dedilhado em seu eterno parceiro o violão!