27 de abr de 2010

Suite dos pescadores!



A Minha paz vem em bloco... para atropelar tudo que vem pela frente e não condizer com o tamanho do sonho!Algumas pedrinhas guardei, pois talvez sejam úteis um dia, outrars passei por cima e foram apagadas na história!

Anônimos...

Continuo amando os anônimos... demostran tanta coragem... que fico impressionada..hahaha...não tem uma louça pra lavar? Haaaaa esuqece no meu apartamento já nasci com empregada...

23 de abr de 2010

Salve Jorge!



Um pouquinho atrasado mas jamais passaria em branco! Salve Jorge nosso Guerreiro e protetor!

Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal.
Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar.
Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré, me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus, com sua divina misericórdia e grande poder, seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meu inimigos.
Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.

Uma forma moderna e mais justa de governar!



O PCdoB levou ao ar nesta quinta-feira, 22,seu programa partidário. Ousado, palpitante, otimista e de forte conteúdo político, em dez minutos, os comunistas falam de sua participação no governo Lula, o parlamento e sua visão avançada sobre o país, baseada num novo projeto nacional de desenvolvimento calçada nas 6 reformas necessárias para que o Brasil continue avançando.

20 de abr de 2010

Mosaico de Paulo Leminski por Cida Carvalho

Paulo Leminski - O bandido que sabia latin


Bom sou suspeita em falar qualquer coisa do Leminski, sou completamente apaixonada por sua forma de fazer poesia... pra quem ainda não conhece o livro "Paulo Leminski - O bandito que sabia latin" do autor Toninho Vaz, também curitibano, jornalista, produtor e mais um monte de coisa que devem ser respeitadas. Bom fica a dica, tenho certeza que qualquer um que pegar esse livro vai mergulhar em uma história de rebeldia, loucura e mais milhares de coisas. Vale a pena!

Paulo Leminski Filho sempre chamou a atenção por sua intelectualidade, cultura e genialidade. Estava sempre à beira de uma explosão e assim produziu muito. É dono de uma extensa e relevante obra. Desde muito cedo, Leminski inventou um jeito próprio de escrever poesia, preferindo poemas breves, muitas vezes fazendo haicais, trocadilhos, ou brincando com ditados populares.

Em 1958, aos catorze anos, foi para o Mosteiro de São Bento em São Paulo e lá ficou o ano inteiro.

Participou do I Congresso Brasileiro de Poesia de Vanguarda em Belo Horizonte onde conheceu Haroldo de Campos, amigo e parceiro em várias obras.

Estreou em 1964 com cinco poemas na revista Invenção, dirigida por Décio Pignatari, em São Paulo, porta-voz da poesia concreta paulista.

Em 1965, tornou-se professor de História e de Redação em cursos pré-vestibulares, e também era professor de judô.

Classificado em 1966 em primeiro lugar no II Concurso Popular de Poesia Moderna.


De 1969 a 1970 decidiu morar no Rio de Janeiro, retornando a Curitiba para se tornar diretor de criação e redator publicitário.

Dentre suas atividades, criou habilidade de letrista e músico. Verdura, de 1981, foi gravada por Caetano Veloso no disco Outras Palavras. A própria bossa nova resulta, em partes iguais, da evolução normal da MPB e do feliz acidente de ter o modernismo criado uma linguagem poética, capaz de se associar com suas letras mais maleáveis e enganadoramente ingênuas às tendências de então da música popular internacional.A jovem guarda e o tropicalismo, à sua maneira, atualizariam esse processo ao operar com outras correntes musicais e poéticas.

Por sua formação intelectual, Leminski é visto por muitos como um poeta de vanguarda, todavia por ter aderido à contracultura e ter publicado em revistas alternativas, muitos o aproximam da geração de poetas marginais, embora ele jamais tenha sido próximo de poetas como Francisco Alvim, Ana Cristina César ou Cacaso. Por sua vez, em muitas ocasiões declarou sua admiração por Torquato Neto, poeta tropicalista e que antecipou muito da estética da década de 1970.

Na década de 1970, teve poemas e textos publicados em diversas revistas - como Corpo Estranho, Muda Código (editadas por Régis Bonvicino) e Raposa. Em 1975 - e lançou o seu ousado Catatau, que denominou "prosa experimental", em edição particular. Além de poeta e prosista, Leminski era também tradutor (traduziu para o castelhano e o inglês alguns trechos de sua obra Catatau, a qual foi traduzida na íntegra para o castelhano).

Na poesia de Paulo Leminski, por exemplo, a influência da MPB é tão clara que o poeta paranaense só poderia mesmo tê-la reconhecido escrevendo belas letras de música, como Verdura.

Músico e letrista, Leminski fez parcerias com Caetano Veloso e o grupo A Cor do Som entre 1970 e 1989.Teve influência da poesia de Augusto de Campos, Décio Pignatari, Haroldo de Campos, convivência com Régis Bonvicino, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Moraes Moreira, Itamar Assumpção, José Miguel Wisnik, Arnaldo Antunes, Wally Salomão, Antônio Cícero, Antonio Risério, Julio Plaza, Reinaldo Jardim, Regina Silveira, Helena Kolody, Turiba, Ivo Rodrigues.

A música estava ligada às obras de Paulo Leminski, uma de suas paixões, proporcionando uma discografia rica e variada.

Entre 1984 e 1986, em Curitiba, foi tradutor de Petrônio, Alfred Jarry, James Joyce, John Fante, John Lennon, Samuel Beckett e Yukio Mishima, pois falava 6 línguas estrangeiras (inglês, francês, latim, grego, japonês, espanhol). Publicou o livro infanto-juvenil ‘’Guerra dentro da gente’’, em 1986 em São Paulo.

Entre 1987 e 1989 foi colunista do Jornal de Vanguarda que era apresentado por Doris Giesse na Rede Bandeirantes;

Paulo Leminski foi um estudioso da língua e cultura japonesas e publicou em 1983 uma biografia de Bashô. Além de escritor, Leminski também era faixa-preta de judô. Sua obra literária tem exercido marcante influência em todos os movimentos poéticos dos últimos 20 anos

18 de abr de 2010

Perfeita, perfeita Alicia Keys



I just want you close
Where you can stay forever

You can be sure
That it will only get better
You and me together
Through the days and nights
I don't worry 'cause
Everything's gonna be alright

People keep talking
They can say what they like
But all I know is
Everything's gonna be alright

No one, no one, no one
Can get in the way of what I'm feeling
No one, no one, no one
Can get in the way of what I feel for you

You, you

Can get in the way of what I feel for you

When the rain is pouring down
And my heart is hurting
You will always be around
Yes, I know, for certain

You and me together
Through the days and nights
I don't worry 'cause
Everything's gonna be alright

People keep talking
They can say what they like
But all I know is
Everything's gonna be alright

No one, no one, no one
Can get in the way of what I'm feeling
No one, no one, no one
Can get in the way of what I feel for you

You, you

Can get in the way of what I feel

I know, some people search the world
to find something like what we have
I know, people will try, try to divide
something so real
so 'till the end of time
I'm telling you that

No one, no one
Can get in the way of what I'm feeling
No one, no one, no one
Can get in the way of what I feel for you

Casa!

Des (conectado)


Prefere conectar
comentar, ocultar,
excluir, tentar burlar,
achar que pode maquiar...

Talvez fazer acreditar
que é só para brincar...

Melhor demarcar o passado,
que não existe mais.
O velho jeito viril de dizer
já tive, não quero mais...
mas estou aqui

Vou des(conectar),
pois a porta vai abrir
vão olhar e
a janela vai fechar,
ela sempre fecha...

O melhor a fazer?
des(conectar da rede)e
Conectar na realidade!


PS: Quando a porta abrir o grito surgirá " Não entra mais aqui enquanto estou em uma relação de cumplicidade com meu computador... não olha! Sai, Sai, Sai."

Prefiro a realidade, adoro museus e lá o passado tem o seu espaço!!!

Ocultar


Não adianta ocultar formulário, nomes, perfis, pessoas...quando não é nada demais todos podem ver... sem peso, sem medo, sem segredo

10 de abr de 2010

Temos de aprender com os rouxinóis!



Rouxinol tomou conta
Do meu viver
Chegou quando procurei
Razão pra poder seguir
Quando a música ia
E quase eu fiquei
Quando a vida chorava
Mais que eu gritei
Pássaro
Deu a volta ao mundo
E brincava
Rouxinol me ensinou
Que é só não temer
Cantou
Se hospedou em mim


Todos os pássaros
Anjos dentro de nós
Uma harmonia trazida
Dos rouxinóis

Milton Nascimento

9 de abr de 2010

Para Sempre


Para Sempre

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Carlos Drummond de Andrade

4 de abr de 2010

E o Coelhinho...



Este ano meu coelhinho veio bem gordinho! Mamãe veio nos visitar e nos encher de chocolate, comidinhas gostosas da serra e muitos mimos. As titias, madrinhas, primas e todas outras coisas queridas parentes do meu bem, passaram a sexta e o sábado com gente foi uma delícia!

Além do mais nesta páscoa fez umano e seis meses que estou ao lado papessoa que me conquistou por completo... a a parte não muito alegra da data foi a 1° pácoas sem a minha vovózinha linda! Mas sei que de onde está, torce, vibra ri e chora junto comigo todos os dias...

Saudades mil!