22 de set de 2010

Essa é pra curtir...

Hummm essa é pra curtir, dançar e pular. Adoro música... tratando-se de Marvin Gaye e Tammi Terrell então!

Curte aí que é isso que farei agora...

La Vie En Rose

Olha essa música tem história... ainda mais quando você e sua mãe passam meses decidindo qual será a música de recepção da festa de seus 15 anos e tudo sai maravilhoso , a trilha da festa perfeita escolhida a dedo e por duas chatonildas completamente malucas por música. Bueno  o problema foi quando fomos buscar e ver a edição feita da filmagem.... os malditos não captaram o som ou seja eles trocaram o bom goste de ter Grace Jones na recepção da minha festa por um Kenny G chato e clichê pra caralho. Pergunta se eu não quero o fígado deles até hoje! Certo que sim!

Bom por enquanto deixo aqui a maravilha  da "La Vie En Rose"

UJS 26 anos de luta em defesa do Brasil


Hoje  a organização de juventude responsável por muito do que sou está completando 26 anos. Parabéns a União da Juventude Socialista - UJS, que nestes anos esteve à frente das principais lutas da juventude brasileira

Tenho muito orgulho de saber que aprendi a fazer política na escola do socialismo, desenvolver valores que não são mais cultivados em nossa sociedade, acreditar e saber que é possível viver e contruir um futuro diferente do que nos está traçado. A UJS nasceu nas "Diretas já"  passou pelo "Fora Collor" encabeçamos os “Caras-Pintadas”, combatemos o neoliberalismo de FHC e tivemos papel de destaque na campanha por Lula em 2002 e agora em 2010 vamos garantir que o Brasil continue avançando elegendo Dilma Presidente .

UJS/POA -2005 As meninas e o professor! Saudades
São mais de 100 mil filiados, atuando em diversas frentes no Brasil inteiro, em uma organização incansável e revolucionária, que estuda e planeja cada passo para crescer, propagandear suas idéias e dizer bem alto que o Socialismo não morreu, mas está aqui em cada um que compõe as fileiras da União da Juventude Socialista.

A UJS foi o motor de grande mudanças em minha vida , militando aprendi tantas coisas importantes que não é a toa que onde vejo e encontro a galera ou simplesmente ouço o Jingle da nossa Manuela 6565 as lágrimas vem aos olhos. Nâo de tristeza mas por saber que não estou mais diretamente ligada (no momento cumpro outras tarefas) , mas por saber que a nossa turma dos (idosos) da UJS não está lá porém os nossos frutos estão aí e essa semente nunca irá deixar de brotar!

Pra encerrar deixo o meu trecho preferido do Manifesto!

"Aqui, na União da Juventude Socialista, vão se encontrar as bandeiras vermelhas, verde-amarelas e os nossos anseios, nossa rebeldia, nossa solidariedade e a luta diária pelo Socialismo. Não nascemos para o silêncio, nascemos para cantar e viver outra vida, melhor e mais justa. Assim será a república de trabalhadores que ajudaremos a construir. Nela estarão "os meninos e o povo no poder...". Nela estará hasteada bem alta a bandeira do Socialismo e, nas faces, estampada a nossa alegria."

Parabéns pelos seus 26 anos UJS!

15 de set de 2010

Ana Canãs e Nando Reis

Linda música é daqueleas que faz carinho por dentro... duas suaves e lindas vozes que vão lá dentro de você! Fica aí "Pra  você guardei o amor"!

13 de set de 2010

Sandália de Prata - Nego Dito

A resposta vem das ruas!


O candidato do PSDB à presidência da república José Serra nas últimas semanas tem apenas "batido" em sua adversária Dilma Roussef. A última do moço foi a proposição de uma aliança com a OAB para que caso seja eleito saia com a instituição em defesa da democracia, dos direitos humanos e do Estado Democrático. Pede providências da OAB quanto ao caso de quebra de sigilo fiscal de sua filha, aproveita e pede também investigação sobre suposta acusação de lobby na Casa Civil.

Em declaração hoje o candidato chamou as correntes avançadas deste país de "esquerdinha brasileira" afirmando que a esquerda brasileira  menos preza o Estado de Direito. Pasmém essas práticas são ou não são  frutos de desespero? Em seus programas o candidato está na ofensiva, procura  todo e qualquer furo para  descredibilizar Dilma. As tentativas até agora foram em vão, o "Serra"  resolveu virar "Zé", seus programas tentam mostrar um homem do povo com sua voz ecoando e repleto de manifestações de apoio popular.

Quero dizer que a resposta virá das ruas e nas urnas dia 03 de outubro, desse povo que nunca cansa e nem deixa de acreditar que a vida será melhor um dia. As acusações do candidato  não pegam e nem vão pegar pois diga ao trabalhador até então desempregado, que Lula não criou empregos quando ele encontrou uma vaga e hoje pode cuidar de sua família com dignidade. Diga também ao povo nordestino que nada mudou se hoje contam com luz elétrica e mais saneamento. Diga ao povo da favela que o Bolsa família não ajuda em nada. Diga as pessoas que moravam de aluguel  e hoje tem sua casa que a compra da casa própria não foi facilitada. Diga ao filho do trabalhador que está se formando, que Prouni, o Reuni e o Enem não valeram de nada.

Esse país esteve nas mãos dos amigos, aliados  e defensores do projeto de José Serra por mais de 500 anos e o que foi feito para a população? Quase nada comparado ao que constituíram para si mesmos. Em 8 anos de mandato as correntes progressistas deste país fizeram milagre! Milagre, mas para o povo investindo nas áreas sociais, fomentando desenvolvimento, fazendo a economia girar, garantindo que o Brasil tivesse o menor impacto possível diante da crise gerada pelos EUA.

A resposta já está vindo das ruas, a cada pesquisa Serra cai e vai continuar caindo. O povo não aceita mentiras e por mais relapso  e desacreditado que ás vezes pareça não tem memória curta não.  A prova virá dia 03 de outubro. 

Ao "Zé" apenas uma derrota ficará,  não a derrota dele mas do projeto que  representa. Projeto esse que  não aceitamos mais e dizemos que não queremos  retroceder na política brasileira. Por isso Dilma Roussef em acontecimento histórico irá se eleger em 1° turno.

9 de set de 2010

Bola de meia, Bola de gude

Essa vai para minha amiga Manuelita ter mais e mais força a cada dia... 03 de outubro está e não tenho dúvida mais um avez vamos estourar a boca do balão! Claro coloquei na minha interpretação preferida com Milton Nascimento... aliás essa foi um a das primeiras músicas que aprendi a tocar no teclado! Beijo grande pra ti Manu! E dia 03 é Manuela 6565!

Diariamente

Um Bonde Chamado seu Beijo


Mais um poema dela... como escreve bem essa moça! Não consigo parar de ler...

"Quem encobrirá meu sono?
Beijará quem minhas costas no cotidiano?
Quem, no meio do frio, me cobrirá com lindas orelhas
e me dirá palavras indecentes nos ouvidos?
Quem, atrevido, me acordará com o ponteiro em riste
como um pássaro que não quer tudo
apenas o céu, a gaiola, o alpiste?
Quem que, quando eu dormisse, por mim zelasse
e eu, quando acordasse, lhe fizesse iogurtes brejeiros
massagens nos pés, cumplicidades de enlace?
Quem me agarrará por trás quando eu sair cheirosa do banho
e terá orgulho de eu ser guerreira e perfumada ao mesmo tempo?
Quem em bom senso dirá que muito me assanho
quem orientará a guerrilha diária a que me proponho
quem será inteligente e gostoso a meu lado como está no meu sonho?
Quem, a quem me disponho a cozinhar e fazer versos
quem racional e perverso cochichará nos tímpanos da minha alma
a doce ordem, a venal palavra: Calma?
Quem com sua alma me mostrará um mar vertical?
Quem, meu igual, me apontará andores reais, sem excesso de glacê no bolo
Com determinação de touro e a nobreza de poder ser banal?
Quem, coisa e tal, me beijará a boca e me enfiará as mãos
por debaixo da barra do segredo do vestido
e um dia passeará comigo no segredo contido na Barra do Jucu?
Quem, senão tu que eu elejo, eu planejo, pode habitar o lugar
a suíte que há tanto tenho reservado?
Quem, encomendado, pode me manter na confiança dos edredons
enquanto não chega?
Quem, com certeza, me visitará num outubourbon no gume da lira
de eu ser égua, cadela, mulher e sua?
Quem sobre mim sua, pinga, chove?
Quem que com lucidez resolve o abismo simples de prever o risco de sonhar
pra nele mesmo cair, rir
e se embolar?
Quem me dará a idéia de conceber a saudade no sentido tático
quem, não estático, de longe me fará cometer poemas de meia-noite?
Quem, sem favor, me estende o braço com rosas na mão
com explicação pro meu calor?
Quem, senão meu doido bondinho
meus olhos acesinhos, meu comedor...
Meu triz, meu risco
meu cristo redentor?"

Elisa Lucinda

No elevador do filho de Deus


Depois que descobri que além de linda, boa atriz, jornalista e cantora  a Elisa Lucinda ainda é poetisa não consegui mais largar dos seus poemas...

"A gente tem que morrer tantas vezes durante a vida
Que eu já tô ficando craque em ressurreição.
Bobeou eu tô morrendo
Na minha extrema pulsão
Na minha extrema-unção
Na minha extrema menção
de acordar viva todo dia
Há dores que sinceramente eu não resolvo
sinceramente sucumbo
Há nós que não dissolvo
e me torno moribundo de doer daquele corte
do haver sangramento e forte
que vem no mesmo malote das coisas queridas
Vem dentro dos amores
dentro das perdas de coisas antes possuídas
dentro das alegrias havidas

Há porradas que não tem saída
há um monte de "não era isso que eu queria"
Outro dia, acabei de morrer
depois de uma crise sobre o existencialismo
3º mundo, ideologia e inflação...
E quando penso que não
me vejo ressurgida no banheiro
feito punheteiro de chuveiro
Sem cor, sem fala
nem informática nem cabala
eu era uma espécie de Lázara
poeta ressucitada
passaporte sem mala
com destino de nada!

A gente tem que morrer tantas vezes durante a vida
ensaiar mil vezes a séria despedida
a morte real do gastamento do corpo
a coisa mal resolvida
daquela morte florida
cheia de pêsames nos ombros dos parentes chorosos
cheio do sorriso culpado dos inimigos invejosos
que já to ficando especialista em renascimento

Hoje, praticamente, eu morro quando quero:
às vezes só porque não foi um bom desfecho
ou porque eu não concordo
Ou uma bela puxada no tapete
ou porque eu mesma me enrolo
Não dá outra: tiro o chinelo...
E dou uma morrida!
Não atendo telefone, campainha...
Fico aí camisolenta em estado de éter
nem zangada, nem histérica, nem puta da vida!
Tô nocauteada, tô morrida!

Morte cotidiana é boa porque além de ser uma pausa
não tem aquela ansiedade para entrar em cena
É uma espécie de venda
uma espécie de encomenda que a gente faz
pra ter depois ter um produto com maior resistência
onde a gente se recolhe (e quem não assume nega)
e fica feito a justiça: cega
Depois acorda bela
corta os cabelos
muda a maquiagem
reinventa modelos
reencontra os amigos que fazem a velha e merecida
pergunta ao teu eu: "Onde cê tava? Tava sumida, morreu?"
E a gente com aquela cara de fantasma moderno,
de expersona falida:
- Não, tava só deprimida."

Elisa Lucinda

8 de set de 2010

Quem sabe isso quer dizer amor!

Esta música já deixei por aqui mas como ela é linda postei novamente!


Cheguei a tempo de te ver acordar
Eu vim correndo à frente do sol
Abri a porta e antes de entrar
Revi a vida inteira

Pensei em tudo que é possível falar
Que sirva apenas para nós dois
Sinais de bem, desejos de cais
Pequenos fragmentos de luz

Falar da cor dos temporais
Do céu azul, das flores de abril
Pensar além do bem e do mal
Lembrar de coisas que ninguém viu
O mundo lá sempre a rodar
E em cima dele tudo vale
Quem sabe isso quer dizer amor,
Estrada de fazer o sonho acontecer

Pensei no tempo e era tempo demais
Você olhou sorrindo pra mim
Me acenou um beijo de paz
Virou minha cabeça

Eu simplesmente não consigo parar
Lá fora o dia já clareou
Mas se você quiser transformar
O ribeirão em braço de mar

Você vai ter que encontrar
Aonde nasce a fonte do ser
E perceber meu coração
Bater mais forte só por você
O mundo lá sempre a rodar,
E em cima dele tudo vale
Quem sabe isso quer dizer amor,
Estrada de fazer o sonho acontecer

Milton Nascimento

6 de set de 2010

Debate com Manuela no Twitter


Está chegando a hora de definirmos nossos candidatos, fica a dica amanhã a minha candidata e amiga Manuela vai fazer um debate no twitter logo após o horário eleitoral às 13h30min. Vale a pena e uao vou ficar fora dessa!

1 de set de 2010

Aos fãs de Beatles...

Pra quem não conheçe este site fica a dica!  www.beatlestube.net  é o youtube com tudo, mas tudo mesmo dos Beatles. Deixo um deles aqui!


Desce a última página do Jornal do Brasil

Ando com pouco tempo para escrever no meu blog o que não quer dizer que ando sem praticar o delicioso exercício da leitura. Pois bem neste dia 31 de agosto foi impressa a última edição do Jornal do Brasil,  o mais antigo. Por ele passaram muitos omes que ouvimos falar na escola. O "JB" como é chamado não terá mais edição impressa será apenas on line. 

Viajando pelos sites qued costumo frequentar encontrei esse artigo e não pude deixar de publicálo aqui no Ilegal, imoral e engorda. Ele retrata as entranhas deste jornal, fala dos visíveis e invisíveis que fizeram parte dessa história, inundado em sentimentos deixo o artigo para que possam degustá-lo também! Quanto ao fim do jornal impresso? É uma pena, assim como eu tenho certeza que sempre existirá os amantes da leitura da tinta sobre o papel mesmo convivento com a leitura da luz sobre a tela!


Por Joaquim Ferreira dos Santos

Descansa em paz JB que amanhã pela manhã, quando chegar às bancas a edição do dia 31 de agosto de 2010, esgota seu deadline neste vale de resmas de papel, e alguém vai gritar o definitivo "Parem as máquinas" num cantinho malassombrado da Avenida Brasil 500.

Penteia o teu último nariz de cera, JB, pede ao Joaquim Campelo para copidescar uma pirâmide invertida que está na página três, diz ao Gabeira para pesquisar a capa que o Alberto Dines fez do AI-5 – e desce a página para o túmulo dos grandes jornais.

Leva um abraço com bafo de uísque para o Zózimo Barroso do Amaral, sempre circulando entre as mesas, já sem o smoking da festa de ontem à noite, e pedindo pelo amor de Deus uma notinha. O foca dizia qualquer coisa que tinha acabado de ver na rua, para que o espírito caminhante de Zózimo sossegasse o facho e ele pudesse escrever a matéria. No dia seguinte, a notinha, um quase nada, uma bolha de sabão, estava impressa no jornal com um charme que enfeitiçaria dezenas de colunistas em gerações futuras, todos frustrados em tentar a mesma leveza e humor sofisticado, mas definitivamente sem conseguir o mesmo buquê do Zózimo.

Dúvida do general
Descansem em paz o velho atrasador de jornal, o calhau, o bandejão, o Brito’s, o plantão na porta do embaixador sequestrado, e também o ascensorista Vovô, o senhor negro encaixotado o dia inteiro em sua jaula de alumínio da Atlas e que quando passava pelo andar da redação anunciava "Parque de diversões"
Seus antepassados tinham sido escravos, ele passara a infância capinando na roça, e não entendia que aquela gente de terno, jogando bolinha de papel amassado umas nas outras, pudesse estar trabalhando.

Acabou de rodar a última edição, JB, não se ouvem mais as Remington, mas a fumaça dos cigarros fumados por todos aqueles anos ainda toma o ambiente. Chegou a última notícia, e ela diz que é hora de tomar a saideira naquele sujinho na Leopoldina.

Descansa em paz pescoção das sextas-feiras, quando a turma do Esporte passava uma lista de contribuições pelas demais editorias e abria um garrafa de White Horse para que ficasse mais suave cavalgar noite adentro no dorso selvagem de títulos de três de 13. Descansem em paz Oldemário Touguinhó, Luarlindo Ernesto, nomes mais fabulosos da História do jornalismo brasileiro, superiores ao de Oderfla Almeida, o Alfredo ao contrário, que também já se foi e nunca teve a felicidade de trabalhar no JB da Condessa, da Cleusa Maria, da Susana Schild, da Norma Couri e de todas aquelas avançadíssimas moças do Caderno B, num tempo em que redação era coisa de macho.

Descansa em paz, Carlinhos de Oliveira, cronista atormentado de três textos semanais, muitos escritos na varanda do Antonio’s, muitos de olho em alguma cocota que passava e, como já era comum no Leblon, antes mesmo de Herbert Vianna anunciar no Paralamas, elas não olhavam para Carlinhos porque, embora gênio, o cronista usava óculos.

Descansa em paz o dia em que a condessa recebeu a figura augusta do general Costa e Silva. Depois de atravessar com o sujeito pela redação, a condessa disse que no dia seguinte seria publicada uma reportagem sobre a visita. "Tem elogio?", perguntou o general. A dona do jornal desconversou. Disse que era uma reportagem descritiva, como são as boas reportagens. O general dispensou. "Se for assim, não precisa, eu gosto mesmo é de elogio."

Chamada de primeira
Descansem em paz todas as histórias folclóricas de redação, todos os estagiários que foram encarregados de pegar a calandra e entregar ao editorialista Wilson Figueiredo. Soltem-se todos os balões que o Alberto Ferreira, o chefe da fotografia, autor da foto da bicicleta do Pelé, esticava no chão do laboratório. Chegou a hora triste de pautar um repórter para fazer a ronda dos cemitérios e descobrir que o morto de hoje é o próprio jornal. Escreva-se o funéreo com a elegância que formou várias gerações de grandes jornalistas e ajudou a fundar o espírito de uma cidade. Sem pieguismo, que os neoconcretistas não vão gostar. Pau na máquina. Fecha com a foto da freira caída na frente do ônibus, do Evandro Teixeira.

Descansem em paz Wilson Coutinho, a lauda de 30 linhas e 72 toques, e mais ainda Mara Caballero, a diagramação sem fios do Amilcar de Castro, os disfarces de mendigo do Tim Lopes, o elefantinho, o ele da primeira página, os classificados de troca de casais, os velhos homens de imprensa, as estagiárias da pesquisa, a reportagem geral com 53 repórteres e o especial do Caderno B em que Lena Frias mostrou para toda a Zona Sul que do outro lado do túnel havia outra cidade cultural, o Black Rio.

Descansem em paz a matéria com cópia em papel-carbono, o salário ambiente, o suplemento literário, o diretor que assediou a secretária e provocou uma passeata na Rio Branco, e também o dia em que o editor jogou para o alto o juramento que fez sobre a Bíblia de Gutenberg. Ele não resistiu e colocou na primeira página de uma segunda-feira a foto daquela repórter da Geral que tinha o mais belo bumbum da redação e fora flagrada, de biquíni, em Ipanema, em toda a exibição orgulhosa de seu trunfo, pelo fotógrafo que fazia a inevitável matéria sobre o movimento das praias no domingo. Descansa em paz a lenda de que se ganhava pouco mas era divertido.

É hora de descer a última página e, como nos artigos de Dom Marcos Barbosa, reunir todos os que se formaram naquela redação para dizer muito obrigado e amém.

P.S.: Não esquece de chamar na primeira.